segunda-feira, 23 de maio de 2022

- para não se distrair ...


 "Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos ,a alegria como quando 
  se sente a garganta seca. Andavam por ruas e ruas , falando e rindo , 
falavam e riam para dar matéria peso à embriaguez que era a alegria deles.
Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam e ao toque
  _a sede é a graça , mas as águas são de uma beleza escura -
  e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando mais seca de admiração.
     Como eles admiravam estarem juntos. Até que tudo se transformou 
em não.  Era a dança dos erros. O cerimonial das
 palavras desacertadas. Ele procurava e não via,ela não via que ele não vira,
 ela  que,estava ali, no entanto. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas,
 e quanto mais erravam , mas com aspereza  queriam,   sem um    sorriso.
Tudo só porque tinham prestado atenção , só porque não estavam bastante
distraídos .Só porque , de súbito, exigentes e duros, quiseram ter o que  já
 tinham. Tudo porque quiseram dar um nome, porque quiseram ser,
 eles que eram. Foram então aprender que, não se estando distraído,
 o telefone não toca e é preciso sair de casa para que a carta chegue.
Quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios.
Tudo, tudo por não estarem mais distraídos."

Clarice Lispector
(excerto)
simplesmentelis, outroblog

10 comentários:

  1. Tudo começa com uma ilusão... mas depois tudo passa a ser real... aos poucos.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Rogério V. Pereira24 de maio de 2022 06:48

    Por vezes tenho a impressão, quase certeza
    que Clarice me observa

    ResponderExcluir
  3. Tão belo, Lis! Tudo tão semelhante - quase literalmente... - a uma realidade que, por mero acaso, foi minha também.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Um texto simplesmente maravilhoso! Obrigada pela partilha!
    .
    Gostaria, que o tempo fosse mais delicado e flexível.

    Beijo, e uma excelente semana.

    ResponderExcluir
  5. Um texto muito belo, aliás como tudo que ela escreveu.
    Bela foto
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  6. Uma autora que gostaria de conhecer bem melhor do que conheço

    ResponderExcluir
  7. Às vezes falha o evitável torna-se inevitável.
    Um belo texto na sua partilha.
    Bela foto.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Acho que depende da fase da nossa vida, ou das circunstâncias... andarmos mais distraídos... pode ser benéfico... ou não... de repente um dia consciencializamo-nos, de que a distracção nos abstraiu de outras opções à nossa volta... no fundo um texto, que apela à consciência... que nem sempre acompanha a velocidade das nossas acções e opções... mas com as quais temos sempre de saber conviver... para o melhor e para o pior! Ainda não conhecia este texto, que gostei imenso de descobrir... e adorei a imagem, que é um puro convite à distracção... no fundo... como a própria realidade... mas de que só à posteriori nos damos conta.. se resistimos ou não...
    Mais um belo post, que nos faz reflectir! Beijinhos!
    Ana

    ResponderExcluir