sábado, 6 de julho de 2024

/// a vida breve


"Meu amado me diz que sou como maçã
cortada ao meio.
As sementes eu tenho é bem verdade.
E a simetria das curvas. 
Tive um rubor na pele lisa
que não sei se ainda tenho.
mas se em abril floresce a macieira 
eu maçã feita e pra lá de madura
ainda me desdobro em brancas flores
cada vez que sua faca 
me trespassa."

(Marina  Colasanti)

14 comentários:

  1. Boa noite de sábado, querida amiga Lis!
    Fico encantada com suas excelentes escolhas.
    "... e desdobro em brancas flores".
    Uma metáfora bem real da macieira sempre produtiva.
    Adorei
    Tenha um domingo abençoado!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Sensual e muito ligado à natureza.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Um belo poema que desconhecia. Grata pela partilha.
    Abraço e saúde

    ResponderExcluir
  4. De Tell
    A Adão
    A maçã, fruta preferida
    suco de eleição

    Beijinho florido

    ResponderExcluir
  5. Lindo!
    Gosto muito de Marina Colasanti!
    Uma feliz semana, paz e saúde!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Beleza Lis *,~`)
    Bela Semana e bom dia em harmonia pra vocês, beijinhos.

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito do que escreve Maria Colasanti. Sempre me encontro nas suas palavras.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Adorei a foto.
    E também gostei do poema, mas não li nada da autora. Vou procurar, porque é uma boa poeta.
    Boa semana minha amiga Lis.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir


  9. Este poema parece explorar uma metáfora sensual e introspectiva sobre a feminilidade e a intimidade. A comparação da pessoa amada com uma maçã cortada ao meio sugere uma visão íntima e detalhada da amada, com todas as suas partes reveladas e conhecidas pelo amante. A menção das sementes e da simetria das curvas pode evocar a ideia de fertilidade, beleza e perfeição física.
    A metáfora das flores brancas que surgem cada vez que a "faca" do amado a atravessa sugere tanto uma vulnerabilidade quanto uma renovação, um ciclo de crescimento e renascimento emocional.

    Belo poema amiga.
    Boa noite e beijinhos poéticos.

    ResponderExcluir
  10. Uma metáfora espetacular!!
    E maçãs para lá de maduras florescem!
    Maravilha!!
    Foi gratificante ler Marina Colasanti aqui.
    Beijinhos
    Majo Dutra
    ********

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Lis
    Um poema muito belo e sensual de Maria Colasanti que gostei de ler.
    A foto é lindíssima.
    Semana abençoada.
    Um beijo
    :)

    ResponderExcluir
  12. Um poema mágico escolheu, Lis
    Essa Colasanti é perfeita.

    A beleza está já na delicada flor
    Depois arredonda ao jeito da mão,
    encerrando em si a simetria
    e o doce terno do amor
    Desde o princípio de Adão,
    agora e sempre

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Marina Colasanti escreve muito bem, sua crônica "Eu sei, mas não devia" é um marco literário da crônica.

    ResponderExcluir
  14. Bela partilha desta grande escritora. Bjsss

    ResponderExcluir